Português
  • COMUR MUSEU MUNICIPAL
  • ServicosOnline
  • Rede de Bibliotecas da Murtosa
  • mobilidade1
  • NaturRia
  • SIG-Murtosa
  • Planos

ok
Escultura

Escultores no Concelho da Murtosa
 
Dimas Macedo
 
Nasceu na Freguesia e Concelho da Murtosa, no dia 24 de Agosto de 1928.
Em 1949, ingressa na Escola de Belas Artes do Porto, ano em que expõe pela primeira vez aguarelas e desenhos, dando os primeiros passos num atelier de escultura.
Entre 1950 e 1955, prossegue os estudos na Escola de Belas Artes de Lisboa, onde adquire conhecimentos na pintura a óleo, vitral, fresco e cerâmica, sendo seu mestre, o pintor Lino António.
Em 1956, viaja para Paris, onde começou por trabalhar em pintura e artes gráficas.
Dimas Macedo deixa entre nós duas marcas de tempos distintos. Uma, quando era ainda jovem, antes de sair da Murtosa, no Centro Recreativo Murtoense onde pinta um painel sobre o tema “Arte Xávega”. Outra, um conjunto escultórico, na rotunda da Varela, freguesia da Torreira.


Conjunto Escultórico da Rotunda da Varela
 
           
  Neste monumento, situado na rotunda da Varela, freguesia da Torreira, Dimas Macedo escolheu trabalhar o azulejo e a terracota. Os quatro elementos laterais são revestidos a azulejo e representam as quatro freguesias do Concelho (Murtosa, Monte, Bunheiro e Torreira), as actividades do campo, da ria e do mar, associadas às quatro estações do ano. A coluna central, em terracota, é o elemento unificador do monumento e encontram-se esculpidas as mesmas imagens dos elementos laterais, em baixo relevo.
      Este conjunto escultórico foi encomendado pela Câmara Municipal da Murtosa e inaugurado em 12 de Novembro de 2005.

Coordenadas GPS: 40º47'27,4274"N - 8º40'31,1010"W



 
Escultor Henrique Araújo Moreira
 
Nasceu na freguesia de Avintes, Vila Nova de Gaia, em 1890. Foi formado pela Academia Portuense de Belas-Artes, sendo discípulo de Teixeira Lopes, herdando o seu gosto pelo realismo.
            A este escultor devem-se inúmeras estátuas no nosso país, vários monumentos aos Mortos da Grande Guerra, vários motivos decorativos em avenidas e jardins , bustos, baixos-relevos decorativos, estatuária religiosa e numerosas medalhas.
            Morreu em 16 de Fevereiro de 1979. Foi homenageado onze anos antes com a Medalha de Mérito da Cidade do Porto, à qual dedicou grande parte das suas esculturas.
            No nosso Concelho, podemos contemplar a sua obra, no monumento em homenagem ao Almirante Jaime Afreixo, na Praça Jaime Afreixo, em Pardelhas.


 
Monumento em Homenagem ao Almirante Jaime Afreixo

            O Monumento ao Almirante Jaime Afreixo, situado na Praça Jaime Afreixo, em Pardelhas, comemora a elevação da Murtosa a Concelho em 29 de Outubro de 1926. Foi realizado pelo escultor Henrique Moreira e encomendado pela Câmara Municipal da Murtosa.
            A inauguração deste monumento faz parte de um conjunto de muitas outras acções que se realizaram para marcar as bodas de prata do Concelho, em 1951.
            Foi marcado para as 16,00 horas, do dia 29 de Outubro, desse mesmo ano, a inauguração do monumento ao Almirante Jaime Afreixo e descerramento das placas de novas ruas do Concelho.
            Na inauguração do monumento foi executado o Hino da Murtosa, da autoria do Sr. Prof. Alípio Portugal.
            Nesse mesmo dia, pelas 18,00 horas, no Teatro Club de Pardelhas, realizou-se uma conferência pelo Sr. Manuel José Lopes Pereira, subordinada ao tema Murtosa, Terra Nossa – Ensaio geo-histórico da sua origem, paisagem e arquitectura do seu povo. Esta conferência deu origem ao livro tão conhecido deste autor: Murtosa Terra Nossa.

Coordenadas GPS: 40º44'54,4667"N - 8º39'6,1271"W



 
Descrição do Monumento
 
Monumento em granito e bronze. Numa das faces do monumento, parte superior, situa-se um medalhão com a fotografia de Jaime Afreixo, na parte inferior situa-se também em alto relevo o brasão do Concelho da Murtosa e a meio do monumento, uma inscrição onde se lê: “Ao Almirante Jaime Afreixo A Murtosa Agradecida”. No reverso do monumento situa-se uma placa em bronze onde se lê: “Lição da História. A devota geração Murtoseira de 1899 reclamou em cortes a justa autonomia administrativa da sua terra, sendo o respectivo projecto de lei apresentado na sessão de 27 de Abril pelo ilustre deputado Dr. Barbosa de Magalhães.
Só em 1926 pela mão do bravo marinheiro e ministro do interior que este singelo padrão ilustra, lhe foi concedida a sua carta de alforria pelo decreto de 29 de Outubro, desanexando-a com o Bunheiro do termo de Estarreja.
Glória a todos os lutadores pela nossa autonomia que a alma Murtoseira nunca deixará de abençoar!”



 José João Brito
 
Nasceu em Coimbra em 1941, é filho do Dr. José Eduardo Carneiro de Brito, médico deste Concelho.
            José João Brito destacou-se no campo da medalhística, sendo distinguido com o prémio da melhor medalha sobre o tema “Descobrimentos Portugueses”, instituído pela Imprensa Nacional Casa da Moeda. A medalha que lhe valeu o prémio intitula-se “500 anos do Achamento do Brasil” e foi editada pelo autor em 1995.
            Tem o seu nome notabilizado além fronteiras, no Uruguai, na colónia de Sacramento, é da sua autoria um monumento encomendado pela Comissão dos Descobrimentos, em homenagem a D. Manuel Lôbo, fundador da colónia em 1860.
            É ainda da sua autoria, a par com Gracinda Candeias e o Arq.º Paulo Brito da Silva, a remodelação da estação do metropolitano de Martim Moniz em Lisboa, onde, as suas esculturas figuram ao lado do revestimento em azulejos da pintora Maria Keil.
            No campo da medalhística, possui ainda trabalhos pelo mundo inteiro (Estocolmo, Colorado Springs (Estados Unidos), Helsínquia, Londres, Budapeste, Neuchâtel.

Monumento ao Emigrante
 
            O monumento foi inaugurado no dia 16 de Agosto de 1981, concebido e executado pelo escultor José João Brito. Este monumento encontra-se implantado numa praceta na Avenida do Emigrante e representa uma homenagem do povo da Murtosa  aos seus Emigrantes. O dia da inauguração coincidiu com a festividade em honra de S. Lourenço. Cerca das 11 horas da manhã, saiu da igreja de Pardelhas uma procissão, rumo ao monumento, onde foi celebrada uma missa campal em honra do santo padroeiro de Pardelhas, pelos emigrantes e seus familiares.
            Da parte da tarde, realizou-se a inauguração ao monumento. Estiveram presentes várias edilidades, a convite do Sr. Presidente da Câmara, Padre António Morais da Fonseca. Houve um desfile das diversas associações do Concelho. A fanfarra dos escuteiros abriu o desfile.
            Junto ao monumento estavam hasteadas as bandeiras de Portugal, da Murtosa e dos principais países da emigração Murtoseira: Estados Unidos da América, Brasil, Venezuela, Canadá, França, Inglaterra, Austrália, Suiça e Espanha.
            Quem descerrou a estátua foi o Sr. João Campos, que residia na Rua Padre Manuel José Valente, considerado na altura o emigrante murtoseiro mais antigo. Tinha completado 87 anos de idade no dia da inauguração do monumento. Emigrou em 1912 para o Brasil, de onde mais tarde passou para os Estados Unidos.
            O custo total do monumento, mandado fazer pela Câmara Municipal da Murtosa foi de 420.000$00.

Coordenadas GPS: 40º44'40,8355"N - 8º38'48,3454"W 





 

Monumento ao Padre António Morais da Fonseca
 
           
            Monumento mandado edificar em 1985, após a morte trágica do Padre António Joaquim Morais Tavares da Fonseca, presidente da Câmara Municipal da Murtosa de 1977 (tomada de posse a 3 de Janeiro) a 1985 (ano da sua morte). Este monumento foi realizado pelo escultor João Brito e tem o busto do referido presidente em bronze. Possui um pedestal com a seguinte transcrição: “António J. Morais T. da Fonseca Presidente da Câmara de 1976 a 1985”. Lateralmente, situa-se uma placa com a seguinte inscrição: “Homenagem ao Padre António Joaquim Morais Tavares da Fonseca, 1º. Presidente da Câmara Municipal da Murtosa Democraticamente Eleito Deliberação de 17 Setembro de 1985”.
            Este monumento situa-se em frente à Câmara Municipal da Murtosa.

Coordenadas GPS: 40º44'58,5971"N - 8º39'0,3284"W




 

Monumento ao Bombeiro

            A 1 de Agosto de 1993, foi inaugurado o monumento ao Bombeiro, da autoria do escultor José João Brito, o qual fica localizado na Av. do Emigrante, no jardim a sul do Quartel Sede. O monumento representa a figura de um bombeiro, sendo o bronze, o material utilizado pelo escultor.

Coordenadas GPS: 40º44'55,6527"N - 8º38'46,1060"W



 


Monumento à Varina

            Monumento que representa a Mulher da Murtosa, na figura de uma varina. A escultura em bronze foi realizada pelo escultor João Brito. Situa-se na freguesia da Torreira, Largo da Varina. A fundição do monumento foi realizada pela empresa “Fundição de Fernando da Silva Lage”, de Vila Nova de Gaia.
            O monumento data de 1982.

Coordenadas GPS: 40º45'39,1761"N - 8º42'40,5321"W


 

Medalha comemorativa do Município da Murtosa de 1996
 
Foram feitos 500 exemplares
Autor- Escultor José João Brito
Firma que executou- OMEPUL, Lda. com sede em Lisboa na calçada do Monte 22
Custo total- 1.319.760$00 (um milhão trezentos e dezanove mil setecentos e sessenta escudos).
Diâmetro- 80 mm
Ano- 1996
 
            “500 medalhas de bronze cunhadas em relevo e levando um espigão para encaixe, sendo duas medalhas sobrepostas e uma a girar, e ainda 3 cunhos em aço para a medalha ...” Reunião de Câmara de 10 de Dezembro de 1996.
            No anverso da medalha está representado um moliceiro em relevo, embarcação típica da Ria de Aveiro, com uma estilização da sua sombra. A medalha está recortada, representando parte de uma nuvem. Possui os seguintes dizeres: “Murtosa, Terra Nossa”.
            No anverso da outra medalha que serve de eixo à primeira, encontram-se representadas as quatro freguesias do concelho: Murtosa e a gravação de enguias, Monte com um girassol, Bunheiro com uma espiga de milho e Torreira com um peixe. Estes símbolos representam a actividade que caracteriza cada local, ora a terra ora a água da Ria e do Mar.
            Ao rodar uma das medalhas, vai aparecendo cada freguesia que compõe o Concelho da Murtosa
            No verso da medalha está gravado em relevo o brasão do município.


 
Busto em Homenagem ao Professor Doutor Pinto Barbosa
 
            

            Monumento realizado pelo escultor José João Brito, inaugurado em 13 de Setembro de 1970, no mesmo dia em que foi inaugurado o Hospital da Murtosa.
            O Professor Doutor Pinto Barbosa era natural do Concelho da Murtosa e destacou-se como Ministro das Finanças e Governador do Banco de Portugal.
            Na inauguração deste monumento, entre muitas outras individualidades, esteve presente o Presidente da República, Almirante Américo Tomás.
            O busto do ex-ministro das finanças é em bronze e encontra-se por cima de um pedestal em granito. Situa-se na Rua dos Condes, freguesia da Murtosa.

Coordenadas GPS: 40º44'51,3802"N - 8º38'57,1328"W






 
Ainda do mesmo escultor existem, no Concelho da Murtosa, as seguintes obras:

Monumento ao Reitor Araújo e Castro, realizado em 1968. Situa-se na Praça Dr. Araújo e Castro, freguesia da Murtosa.
Coordenadas GPS: 40º44'15,2954"N - 8º38'26,8319"W

Monumento a N. Senhora dos Navegantes, realizado em 1982. Situa-se na Rua D. Dinis, freguesia da Murtosa.
Coordenadas GPS: 40º43'49,0274"N - 8º38'48,7802"W

Monumento ao P. Domingos Pinho, realizado no ano de 1987. Situa-se no Largo Reitor Domingos Pinho, freguesia do Bunheiro.
Coordenadas GPS:40º46'31,2890"N

Monumento a D. Francisco Rendeiro, realizado em 1989. Situa-se na Rua D. Francisco Fernandes Rendeiro, freguesia da Murtosa.
Coordenadas GPS: 40º44'23,0488"N - 8º38'28,0755"W


Aveiro Digital Portugal Digital Programa Operacional Sociedade do Conhecimento Europa - O portal da União Europeia Créditos
Comentários e sugestões: informatica@cm-Murtosa.pt ou gabinete.comunicacao@cm-murtosa.pt
Copyright © 2018 Câmara Municipal de Murtosa